AS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL SAIBA MAIS! @Marcostaddeu Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427 e-mail: santuariodejacarei@gmail.com BLOG OFICIAL

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

23 de novembro - Dia Santa Felicidade e sete irmãos

REDE SOCIAL, TV E RÁDIO
www.apparitionstv.com

JACAREÍ, 16 DE OUTUBRO DE 2011 ,CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ/SP
MENSAGEM DE SANTA FELICIDADE,COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA
http://gloria.tv/?media=362730

“-Meus amados irmãos, Eu, FELICIDADE, serva do Senhor, serva de Maria Santíssima, venho hoje abençoar-vos e dizer-vos:

PAZ! PAZ AOS VOSSOS CORAÇÕES!
NADA PERTURBE A VOSSA PAZ! NADA DESTRUA A VOSSA PAZ! PERMANECEI SEMPRE EM PAZ!

Vinde, vinde alegrar-vos no amor do Senhor. Vinde alegrar-vos na cruz do Senhor. Vinde alegrar-vos no amor da virgem Santíssima. Vinde procurar a fonte da vida que aqui está aberta para cada um de vós.
Procurai a fonte da vida, que nestes tempos finais foi largamente aberta para vós pelo Senhor através das APARIÇÕES DA VIRGEM SANTÍSSIMA. Bebei a água das Suas mensagens que brotam da fonte do Seu amor imenso por todos vós, para que assim a vossa sede seja finalmente saciada, a vossa alma possa finalmente sentir o amor, sentir a plenitude da graça, da paz e da alegria que sempre procurou!

Bebei sempre mais desta água salutar das Mensagens da Mãe de Deus, onde vós encontrareis toda a inspiração, toda a resposta, toda a luz, todo o ânimo e toda a força para seguirdes em frente a cada dia na vossa caminhada rumo à santidade, rumo ao Céu, rumo a Deus. Bebendo desta água puríssima, vós tereis perfeita saúde espiritual, lavareis de vossas almas toda a impureza, toda a nódoa de pecado, tornareis as vossas almas belas, renovadas, revigoradas e, sobretudo, cheias de força, saúde espiritual para caminhardes todos os dias da vossa vida na estrada da santidade, do amor e da graça com passo firme e decidido.
Vinde beber à Fonte da Vida, da qual brota toda a alegria do Senhor, que Aqui neste Lugar Sagrado das APARIÇÕES DE JACAREÍ, vos foi largamente concedida e dada a beber. Aqui, a ÁGUA DA GRAÇA jorra sem cessar para todos, o que se pede é apenas boa vontade e que cada um de vós estenda a sua mão para tomar desta água e bebê-la em abundância. Quanto mais beberdes desta água mais ela jorrará para vós, porque ela brota da Fonte do eterno amor que jamais se esgota.

Bebei, bebei e lavai os vossos lábios, os vossos lábios ressequidos sem amor, sedentos de paz, de felicidade, de esperança e esta água tornará novamente as vossas almas cheias de fé, esperança, amor, paz e alegria. E com esta paz e esta alegria, com esta fé e esperança, vós sereis capazes de mudar não somente as vossas vidas, mas também as vidas de todos os vossos irmãos, do mundo inteiro!

Vinde beber à Fonte da vida, que Aqui neste Lugar sagrado a VIRGEM MARIA abriu para vós e que jorra há tantos anos a água, a água que brota do Trono do Cordeiro, do Trono da Graça. Cada um de vós poderá beber, poderá levar e tomar desta água o quanto quiser, na há limite, vós bebereis o quanto vós quiserdes e o quanto vós fordes capazes de beber. Esta água vos é dada com sumo amor e caridade, por isso a ninguém jamais foi negada, a ninguém jamais será negada, nem de ninguém jamais será confiscada.

Vós, estendei as mãos, bebei, bebei largamente desta água que jorra para vós dando-vos sempre mais a graça do alto, tornando-vos sempre mais fortes para combaterdes as forças do mal e cumprirdes a vossa missão aqui na Terra.

Vinde beber às fontes da vida, às fontes que jorram do Trono do Senhor, onde as vossas almas conhecerão um pouco daquela alegria, daquela felicidade, daquele amor e daquela vida divina que Nós os bem aventurados, gozamos e temos no Paraíso. E vós já na Terra em carne mortal, podereis exultar de alegria em Deus, podereis cantar os Seus louvores e transformar mesmo a vossa vida num hino vibrante de amor, que toda a criatura poderá ouvir, poderá compreender. E então, convosco poderão também entoar para maior glória do Senhor, da Virgem Santa, e para maior Triunfo da verdade.

Eu, FELICIDADE, estou convosco todos os dias, acompanho-vos no vosso peregrinar na Terra, ajudo-vos sempre mais a servirdes com prontidão, perfeição e exatidão à Virgem Santíssima.

Estou sempre atenta às vossas necessidades, vejo já de antemão tudo aquilo que vós precisais, previno-vos também de todas as tentações de Satanás, para ajudar-vos sempre mais a vencê-lo com o vosso não às suas sugestões malignas e com o vosso sim dado sempre mais com amor e generosidade a Deus, à Virgem Santíssima e à vontade Dela.
Tomo vossas Mãos cada dia para conduzir-vos pelo caminho da verdade, da graça e da paz, uno a Minha oração com a vossa colhendo as rosas que saem a cada conta do vosso Terço que rezais, para assim, apresentar as vossas rosas mais luminosas, as vossas orações mais intensas, mais profundas, mais confiantes no Trono da Santíssima Trindade e da Mãe de Deus, para alcançar para vós toda a sorte de graças.

Cubro-vos com o Meu Manto de Luz para vos esconder dos olhos malignos de Satanás, de modo que ele não vos possa ver, não vos possa ferir, não vos possa derrubar. Cubro –vos sempre mais com Meu Manto de Luz, para defender-vos de toda a sorte de ataque de Satanás.
Nos momentos de sofrimento estou mais perto de vós do que nunca, por isso, lembrai-vos de Mim para que vós não caiais na tristeza, nem no desespero. Chamai por Mim e Eu virei imediatamente consolar-vos e confortar-vos e pouco a pouco vos conduzirei à solução de todos os vossos problemas e sofrimento e à vitória.

Não duvideis nunca, Eu vos amo com o amor divino e sobrenatural, e por isso desejo, desejo imensamente conduzir-vos ao Céu onde podereis ser felizes ao Meu lado para sempre cantando os louvores do Senhor.

Por isso vinde a Mim, em todas as vossas necessidades, sofrimentos e aflições. Vinde a Mim, sobretudo, para que Eu vos ensine a verdadeira santidade. Vinde a Mim para que Eu vos dê sempre mais a beber da Água da Graça, da Fonte da vida, da qual tanto vos falei nesta Minha primeira Mensagem Aqui. Aquele que Me pedir da água da Fonte da Vida, da água da Graça Eu lhe darei abundantemente e sem reservas.

Vinde a Mim, com os cântaros, com os jarros das vossas orações cheios de fé, de amor e de esperança e Eu vos darei ilimitadamente a beber da água da vida da qual Eu Sou plenamente saciada.

A todos neste momento abençôo com amor e com generosidade, dando-vos todas as graças copiosas que o Altíssimo neste dia Me concedeu para derramar sobre vós.”

Santa Felicidade e sete irmãos + 165


Não há muitas informações sobre a vida anterior ao martírio de Felicidade e dos sete irmãos. Eles viveram nos tempos do imperador Antonino e foram presos e mortos todos juntos no ano 165, em Roma. 

Há dúvidas, até, de se os sete jovens seriam realmente todos irmãos e ainda, em sendo irmãos, se a mulher presa e morta ao lado deles seria mesmo a mãe deles. 

Entretanto são os dados registrados nas "Atas" sobre este martírio coletivo. 

Também este não teria sido o único caso de uma mãe que recebeu a pena capital juntamente com os filhos. Há, por exemplo, o caso dos "sete irmãos Macabeus", de que fala a Sagrada Escritura no capítulo sete do segundo livro dos Macabeus. 

Além disso, quanto a esta mártir, consta que o próprio papa são Gregório Magno teria encontrado uma gravura mural que representava esta mãe, de nome Felicidade, rodeada por sete jovens, numa das catacumbas de Roma. 

A tradição diz que Felicidade era uma rica viúva que foi acusada de ser cristã pelos sacerdotes pagãos ao imperador. Públio, prefeito de Roma, ficou encarregado do seu julgamento. 

Começou o interrogatório somente com ela, todavia não obteve resultado algum. No dia seguinte, mandou conduzir a mãe e os sete filhos para adorarem os deuses. Mas Felicidade exortou os filhos a que não fraquejassem na fé. 


O juiz, então, condenou mãe e filhos à morte. 

Através das "Atas" podemos saber todos os seus nomes e a forma de martírio de cada um. Nela, eles estão citados como "os sete irmãos mártires": Januário, Félix, Filipe, Silvano, Alexandre, Vidal e Marcial. 


Januário, após ser açoitado com varas e ter padecido no cárcere, foi morto com flagelos chumbados. Félix e Filipe foram espancados e mortos a cacetadas. Silvano foi jogado num precipício. Alexandre, Vidal e Marcial foram decapitados. 

Apesar de saberem que sofreriam muito antes de morrer, todos mantiveram a firmeza na fé e não renegaram o Cristo. 

A última a morrer, por decapitação foi Felicidade, que sofreu muitas torturas até a execução no dia 23 de novembro. 


"Olhai para esta mãe, a quem a vida dos filhos enchia de ansiedade, a quem a morte dos filhos devolveu a segurança. Feliz aquela cujos filhos serão na glória futura uma espécie de candelabro de sete braços. Feliz dela, porque o mundo não pôde arrebatar-lhe nenhum daqueles que lhe pertenciam. No meio dos cadáveres mutilados e ensangüentados daquelas oferendas queridas, passava mais alegre do que antigamente ao lado dos seus berços, porque via com os olhos da fé uma palma em cada ferida, em cada suplício uma recompensa e sobre cada vítima uma coroa. "

A tradição cristã reverência todos estes santos mártires na mesma data.

***********************

07 de março - Dia de Santa Perpétua e Santa Felicidade
JACAREÍ, 09 DE AGOSTO DE 2009 .CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ – SP - BRASIL
MENSAGEM DE SANTA PERPÉTUA ,COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA

http://www.youtube.com/watch?v=GTNFomvYTH4





"-Amados irmãos! Eu, PERPÉTUA, serva do SENHOR, serva de MARIA SANTÍSSIMA... venho hoje mais uma vez chamar-vos:- Sede valorosos combatentes da fé!...

Travai o bom combate, não fugi a luta! Lutai por CRISTO! Lutai por MARIA SANTÍSSIMA com as armas do amor, da oração, da fé, da perseverança; contra as quais satanás e os demônios não podem e contra as quais este mundo não tem poder.

Combatei valorosos soldados do SENHOR... cada dia mais com a coragem e com a certeza de que não lutais sozinhos. O Céu inteiro luta convosco, os Anjos e Nós os Santos também pelejamos convosco cada dia, na luta para instaurar na Terra O Reino dos SAGRADOS CORAÇÕES, O Reino do Amor!
Quantas vezes vós ficais paralisados no meio da luta!

Quantas vezes estacionais e o inimigo avança ganhando terreno... porque tirais o vosso olhar de DEUS e de MARIA SANTÍSSIMA, da vontade Deles e do Seu Desígnio de Amor, para colocá-lo de novo em vós mesmos e nas criaturas.

Ora olhais os vossos esforços como inúteis, e por isso sois vencidos pelo desânimo... Ora colocais o vosso olhar no pouco bem que já fizestes e então já vos achais muito cheios de merecimentos, com muitas vitórias, com muitas boas obras e não pelejais mais arduamente nesta luta, para santificardes a vós mesmos e as almas ao redor de vós!
Por isso Eu venho do Céu, para acordar-vos do vosso erro e tirar-vos da vossa ilusão e levar-vos sempre mais adiante; no caminho da perfeição, da santidade e do amor...
Não vos deis nunca por satisfeitos! Não estacioneis no meio do caminho! Sempre avante! Os vossos esforços nunca são inúteis, mesmo quando não virdes os resultados dos vossos esforços, bem o saibais: eles todos foram escritos no Livro da Vida.
Se não servirem para a salvação daquelas almas a quem vós pretendíeis ajudar em primeiro lugar, servirão para outras. Mas nada... nada que é feito em Nome do SENHOR, ficará sem seu efeito, nem sem a sua recompensa! Até um copo d’água dado em Nome de CRISTO, terá a sua recompensa no Céu. Quanto mais os vossos esforços em tornar a Sua Palavra, a Sua Lei, as Suas Mensagens: conhecidas, amadas e obedecidas por todos!

Não deveis nunca olhar os vossos esforços como inúteis, pois Eu vos digo:

- Aqueles que chorando semearam, entre Cânticos de Alegria um dia ceifarão!...

Um dia... com os Santos ANJOS e Conosco os SANTOS... estas almas que semearam a Palavra de DEUS na Terra, que semearam as Mensagens, que semearam o Amor a DEUS e a VIRGEM SANTÍSSIMA; se reunirão a Nós para a ceifa, para a colheita. E quanta consolação sentirão naquele dia ao recolherem feixes e mais feixes, de almas que produziram os frutos das sementes que foram semeadas.

Não olheis jamais para os vossos merecimentos, porque eles sempre serão poucos em comparação com aquilo que o Senhor merece receber de vós!...
Tendes de lutar... para conseguir mais merecimentos para o Céu. E o tempo para isso é agora, é essa vida... Enquanto é dia trabalhai, pois em breve vem a noite e ninguém mais poderá trabalhar! O SENHOR virá em breve, em hora não conhecida e não suspeitada por vós... e pedirá de vós os frutos dos talentos que vos deu.
Estais preparados para Lhe devolver o dobro, o triplo do que recebestes?... Deveis ter sempre em mente que fostes criados para a santidade, para o Céu... não para as coisas transitórias desta Terra. Podeis usar delas enquanto elas forem meios para servirdes melhor a DEUS, a VIRGEM MARIA e alcançardes o Céu!

De outra forma, as coisas deste mundo, só vos afastariam do SENHOR e do verdadeiro objetivo para o qual fostes criados: O CÉU!

Tendes sempre presente:Que deveis usar das coisas deste mundo, mas sem vos deixardes controlar e dominar por elas!

Somente assim, gozareis a verdadeira liberdade e usareis todas as coisas com o justo peso e medida que elas merecem. E somente assim, a vossa vida será um serviço perfeito a DEUS, sem mistura de interesses humanos e mesquinhos, que possam ser mascarados sob o pretexto de servir a DEUS!

Convido-vos à CONSTÂNCIA......Esta virtude que tem sido tão descuidada por vós! Deve ser agora objeto da vossa atenção e de que, vos debruceis diante dela; para melhor conhecê-la, cultivá-la e praticá-la.
Os homens do vosso tempo padecem de uma inconstância crônica... Não são constantes: nem na Oração, nem no Sacrifício, nem no Amor, nem na Meditação, nem nas Obras Boas, nem em nada... Mudam da noite para o dia!... Assim como o vento muda de direção e sopra para outros lados, assim também são os homens desse tempo, como cata-ventos loucos que buscam milhares de coisas ao mesmo tempo e não são perseverantes nem nas pequenas coisas!
Quem não é fiel no pouco, não será fiel no muito. A quem o SENHOR confiou pouco e não foi fiel nesse pouco, O SENHOR não poderá confiar mais...

Se quereis, portanto... crescer na santidade, crescer no serviço do SENHOR... Aprendei de Mim a Constância nas pequenas coisas... É nas pequenas virtudes, que começam as grandes virtudes... É nos pequenos atos, feitos com perfeição, que se aprende fazer os grandes atos com perfeição!

Enquanto continuardes descuidando-vos disto, nunca sereis fieis ao SENHOR em nada. E a vossa vida será uma constante agitação e um mar de tumulto e confusão!

Voltai às fontes!... Voltai às origens!... Aprendei a ser fieis, a serdes fieis nas pequenas coisas, e então, conseguireis ser nas grandes!

Imitai a Minha Fortaleza, sede como Eu: não troqueis o Amor de JESUS e da VIRGEM SANTÍSSIMA por nada, por nenhum outro amor deste mundo!... Por mais belo que vos pareça! Não desprezeis a amizade Deles, por nenhum bem, por nenhuma glória... por nada que este mundo vos venha oferecer e vos tentar...

Sede fieis ao Amor do SENHOR e desta Mãe até o fim! E um dia vós, Meus amados irmãos, chegareis aqui em cima, onde Eu vos precedi e onde junto com a VIRGEM SANTÍSSIMA preparo para vós, todos os dias uma Coroa de Glória imperecível!... E um Manto de príncipes que sois... Oh, filhos do Rei dos Céus! Para que um dia, possais aqui em cima, reinar junto Conosco e cantar junto Conosco as Glórias do SENHOR por toda a Eternidade...

A todos hoje cubro com o Meu Manto e abençôo abundantemente..."
************************** 

O MARTÍRIO DE SANTA PERPÉTUA E SANTA FELICIDADE 


No ano de 202, o imperador Severo mandou que aqueles que seguissem sendo cristãos e não quisessem adorar aos deuses romanos deveriam morrer. Perpétua estava celebrando uma reunião religiosa em sua casa quando chegou a polícia do imperador e a levou presa, junto com sua escrava Felicidade, e os escravos Revocato, Saturnino e Segundo.
Diz Perpétua em seu diário:

- "Nos colocaram no cárcere e fiquei consternada porque nunca havia estado em local tão escuro. O calor era insuportável e havia muitas pessoas em um subterrâneo muito estreito. Parecia que morreria de calor e asfixia, mas sofria muito mais por não poder estar junto de meu filho, que tinha tão poucos meses e muito necessitava de mim. O que mais pedia a Deus era que nos desse grande virtude para sermos capazes de sofrer e lutar por nossa santa religião".

No dia seguinte,chegaram alguns diáconos católicos e deram dinheiro aos carcereiros para que passassem os presos a outra cela, menos sufocante e escura. Foram levados a um local onde entrava um raio de sol e não ficaram tão incômodos. Também permitiram que levassem o filho de Perpétua, que estava se deixando morrer. Ela disse em seu diário:

- "Desde que tive meu filho em minhas mãos, aquele cárcere me pareceu um palácio e sentia-me plena de alegria. E a criança também retomou a alegria e vigor". As tias e a avó encarregaram-se depois da criança e sua educação.

O chefe do governo de Cártago chamou a juízo Perpétua e seus servidores. Na noite anterior Perpétua teve uma visão na qual lhe foi dito que teriam que subir uma escada cheia de sofrimentos, mas que ao final de tão dolorosa subida, o Paraíso Eterno as esperava. Ela narrou a seus companheiros a visão e todos se entusiasmaram e se propuseram permanecer fiéis à Igreja até o fim.

Primeiro foram chamados os escravos e o diácono. Todos proclamaram ante as autoridades que eram cristãos e preferiam morrer antes que adorar a falsos deuses.



Logo chamaram a Perpétua. O juiz lhe pedia que deixasse a religião de Cristo e passasse a religião pagã, que assim salvaria sua vida. E lhe recordava que era mulher muito jovem e de família rica. Porém Perpétua proclamou que estava decidida a ser fiel a Jesus Cristo até a morte. Neste momento, trouxeram seu pai, o único na família que não era cristão, e ajoelhado ele suplicou que não persistisse em chamar-se cristã, que aceitasse a religião do imperador, que o fizesse por amor a seu pai e seu filhinho. Ela se comoveu imensamente, mas terminou dizendo-lhe:

- "Pai, como se chama este objeto a sua frente?".

- "Uma bandeja, minha filha.", respondeu ele.

- "Pois bem, a esta bandeja há de chamar-se bandeja, porque é uma bandeja. E sou cristã, não posso me chamar pagã, porque sou cristã e quero sê-lo para sempre." E acrescentou em seu diário: "Meu pai era o único na família que não se alegrava porque nós seríamos mártires em Cristo".

O juiz decretou que os três homens deveriam ser levados ao circo e ali, em frente à multidão, seriam destroçados por feras no dia da festa do imperador; e que as mulheres seriam amarradas frente a uma vaca furiosa. Porém, havia um inconveniente: Felicidade estava grávida e a lei proibia matar a quem estava por dar à luz. E ela desejava ser martirizada por amor a Cristo. Então os cristãos oraram com fé e Felicidade deu a luz a uma linda menina, que foi confiada as mulheres cristãs, e assim Felicidade pode ser martirizada. Um carcereiro fazia pouco caso dela, dizendo-lhe:

- "Agora te queixas das dores do parto, como farás frente às dores do martírio? " Ela lhe respondeu:

- "Agora sou fraca porque sofro por minha natureza. Porém, quando chegar o martírio, me acompanhará a graça de Deus, que me encherá de fortaleza.".
Aos condenados à morte permitia-se fazer uma ceia de despedida. Perpétua e seus companheiros organizaram uma ceia eucarística. Dois santos diáconos lhes levaram a comunhão, e depois de orar e animar-se uns aos outros, abraçaram-se e despediram com o ósculo da paz. Todos estavam animados, alegremente bem dispostos a entregarem a vida por proclamar a fé em Jesus Cristo.

Antes de levarem-nos ao circo, os soldados queriam que os homens vestissem como sacerdotes dos falsos deuses e as mulheres como sacerdotisas pagãs. Porém Perpétua se opôs e ninguém conseguiu lhes vestir aquelas roupas.

Os escravos foram jogados às feras, que os destroçaram e eles derramaram assim valentemente seu sangue por nossa religião.
O Diácono Sáturo conseguiu converter um dos carcereiros, chamado Pudente, ao Cristianismo. Disse-lhe:

- "Para que vejas que Cristo é Deus, te anuncio que me colocarão frente a um urso feroz, mas esta fera não me fará nenhum mal."

E assim aconteceu: lhe amarraram e colocaram em frente à jaula de um urso muito agressivo. O animal feroz não lhe fez nenhum mal, e ainda deu uma tremenda dentada no seu tratador, que o atiçava contra o santo diácono. Então soltaram a um leopardo, que com uma dentada destroçou Sáturo. Quando o diácono estava moribundo, molhou com seu sangue um anel, colocou-o no dedo de Pudente, que então aceitou definitivamente converter-se ao Cristianismo.


A Perpétua e Felicidade amarraram com arame, colocaram-nas no centro e soltaram uma vaca bravíssima, que as atacou sem misericórdia. Perpétua unicamente se preocupava em ir-se cobrindo, com os restos de tecido que sobravam, para que não desse espetáculo por estar desnuda. Ajeitava os cabelos, para que não parecesse uma pagã chorona. O povo emocionado, ao ver a valentia das jovens mães, pediu que as retirassem pela porta onde saiam os gladiadores vitoriosos. Perpétua, então saiu de seu êxtase, e perguntou onde estava a tal vaca que lhes atacaria.

Mas logo após o povo cruel pediu que as trouxessem para lhes cortar a cabeça em frente a todos. Ao saber desta notícia, as jovens abraçaram-se emocionadas e retornaram a praça. A Felicidade cortaram a cabeça com um golpe de machado, Porém o verdugo que deveria matar Perpétua estava muito nervoso e errou o primeiro golpe. 


Ela deu um grito de dor, porém posicionou melhor a cabeça para facilitar o trabalho do verdugo e lhe indicou onde veria atingí-la. Assim, esta mulher corajosa mostrou até o último instante que morria mártir por sua própria vontade e com toda generosidade.


23 de novembro - Dia de São Columbano

acessem: http://www.apparitionstv.com/


Resultado de imagem para São ColumbanoSão Columbano
+615

Catequizada por são Patrício no século V, a Irlanda deu à Europa medieval inúmeros monges missionários que espalharam e fizeram crescer a Igreja cristã. Da "ilha dos santos" para a Europa, eles vieram, austeros, retos e amorosamente motivados, dar origem à chamada "peregrinação pelo Senhor". Além de expandir muito as regiões de fé cristã, colaboraram para a renovação cultural do velho continente. Um de grande relevância foi o monge Columbano, nascido por volta do ano 540 na cidade de Leinster. 

Esse irlandês era um nobre rico, culto e dotado de inteligência incomum. Ele próprio se iniciou no estudo das Sagradas Escrituras. Depois, estudou as ciências humanas e a teologia em um mosteiro da Irlanda do Norte, em Bangor, considerado o de regras mais rígidas de todo país. Teve como orientador espiritual o próprio abade, santo Comgall. Passou décadas e mais décadas de ilha em ilha, onde os mosteiros floresciam. Ele mesmo fundou um em Bangor, que se tornou célebre também, e onde, por uma década, foi professor dos noviços. 

Contemporâneo dos mais destacados religiosos de sua época, estudou ao lado de muitos deles, alguns dos quais se tornaram santos. Aos cinqüenta anos, deixou seu país para atuar como missionário, acompanhado de outros doze monges. E passou para a história da Igreja por sua presença de visionário reformador e fundador de mosteiros, dono de uma singular personalidade que unia vigor e poesia, determinação férrea e descuidada improvisação. Mas também, e principalmente, pela rigidez das regras de disciplina imposta aos monges dos seus mosteiros. 

Chegou, em 590, na Europa decadente daqueles tempos medievais, entrando pela França, onde fundou o primeiro mosteiro em Luxeuil, a seguir outros dois na região da Borgonha. Assim, atraiu centenas de seguidores, reavivando a fé cristã. Depois, foi a vez da Suíça, onde deixou o discípulo Gallo, agora santo, o qual fundaria, mais tarde, um célebre mosteiro que perpetua o seu nome. 

Finalmente, chegou na Itália, onde a fama de sua sabedoria e santidade já era conhecida. Atuou como conselheiro do rei dos longobardos, mas indispos-se com ele por causa da sua oposição aos hereges arianos. Foi para as montanhas da Ligúria, entre Gênova e Pávia, onde ergueu a igreja e o Mosteiro de Bobbio, que tantos frutos daria ao catolicismo no futuro. Nele, o abade Columbano morreu no dia 23 de novembro de 615. E essa é a data da festa para a sua celebração.

23 de novembro - Dia de São Clemente I




Santo Clemente I
Papa + 101

Clemente foi o quarto papa da Igreja de Roma, ainda no século I. Vivia em Roma e foi contemporâneo de são João Evangelista, são Filipe e são Paulo; de Filipe era um dos colaboradores e do último, um discípulo. Paulo até citou-o em seus escritos. A antiga tradição cristã apresenta-o como filho do senador Faustino, da família Flávia, parente do imperador Domiciano. Mas foi o próprio Clemente que registrou sua história ao assumir o comando da Igreja, sabendo do perigo que o cargo representava para sua vida. Pois era uma época de muitas perseguições aos seguidores de Cristo. 

Governou a Igreja por longo período, de 88 a 97, quando levou avante a evangelização firmemente centrada nos princípios da doutrina. Enfrentou as divisões internas que ocorriam. Foi considerado o autor da célebre carta anônima enviada aos coríntios, que não seguiam as orientações de Roma e pretendiam desligar-se do comando único da Igreja. Através da carta, Clemente I animou-os a perseverarem na fé e na caridade ensinada por Cristo, e participarem da união com a Igreja. 

Restabeleceu o uso do crisma, seguindo a tradição de são Pedro, e instituiu o uso da expressão "amém" nos ritos religiosos. Com sua atuação séria e exemplar, converteu até Domitila, irmã do imperador Domiciano, também seu parente, fato que ajudou muito para amenizar a sangrenta perseguição aos cristãos. Graças a Domitila, muitos deixaram de sofrer ou, pelo menos, tiveram nela uma fonte de conforto e solidariedade. 

Clemente I expandiu muito o cristianismo, assustando e preocupando o então imperador Nerva, que o exilou na Criméia. A essa altura, assumiu, como papa, Evaristo. Enquanto nas terras do exílio, Clemente I encontrou mais milhares de cristãos condenados aos trabalhos forçados nas minas de pedra. Passou a encorajá-los a perseverarem na fé e converteu muitos outros pagãos. 

A notícia chegou ao novo imperador Trajano, que, irritado, primeiro ordenou que ele prestasse sacrifício aos deuses. Depois, como recebeu a recusa, mandou jogá-lo no mar Negro com uma âncora amarrada no pescoço. Tudo aconteceu no dia 23 de novembro do ano 101, como consta do Martirológio Romano. 

O corpo do santo papa Clemente I, no ano 869, foi levado para Roma pelos irmãos missionários Cirilo e Metódio, também venerados pela Igreja, e entregue ao papa Adriano II. Em seguida, numa comovente solenidade, foi conduzido para o definitivo sepultamento na igreja dedicada a ele. Na cidade de Collelungo, nas ruínas da propriedade de Faustino, seu pai, foi construída uma igreja dedicada a são Clemente I. A sua celebração ocorre no dia da sua morte.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

22 de novembro - Dia de Santa Cecília

REDE SOCIAL, TV E RÁDIO
www.apparitionstv.com

Jacareí, 20 de maio de 2007
Mensagem de Santa Cecília comunicada ao vidente Marcos Tadeu


"-Marcos, Eu sou CECÍLIA, serva de DEUS... Serva de MARIA... Serva de SANTA ANA... Serva do ESPÍRITO SANTO... 

Eu sou a serva dos servos do SENHOR e venho hoje também para vos abençoar e para vos dizer: 

-Sede fiéis!... Sede santos!... Cumprí e obedecei todas as Mensagens que aqui vos foram dadas para que possais ser dignos e merecer a vida eterna...

Vede... Vede irmãos meus... O quanto é grande a recompensa do SENHOR pelo curto tempo de vida nesta terra em que a fé é provada, em que o AMOR é provado...

Se vós fordes fiéis a DEUS, se vós amardes a DEUS com o Coração puro e sincero pelo pequeno espaço desta vida! Vós merecereis uma coroa incorruptível que jamais vos será roubada nem pelo demônio, nem pelo mundo, nem pela carne humana , nem por nada... 
A vossa coroa já está sendo preparada no céu! Cuidai de não perdê-la pelo pecado... cuidai de não perdê-la pela desobediência a Mãe de DEUS.
NÃO VEDES QUE A DESOBEDIÊNCIA A MÃE DE DEUS NAS SUAS APARIÇÕES ATUAIS É O CÂNCER DO MUNDO??? E QUE TODOS OS CASTIGOS E MALES ATUAIS SÃO CONSEQÜÊNCIAS DESTA DESOBEDIÊNCIA, QUE JÁ VEM DESDE 180 ANOS ATRÁS AGRAVANDO E CRESCENDO MAIS???

Até quando continuareis a maltratar e a fazer sofrer assim a MÃE de DEUS? Será que até vós os que se dizeis filhos dEla e que dizeis que Ela é vossa MÃE... Será que até vós repetireis o pecado dos maus e torturareis ainda mais a MÃE do nosso SENHOR? 

Será que nem mesmo vós vos compadecereis e tereis piedade dEla? Oh não! Que comece de vós a grande conversão!... Que comece de vós a grande transformação!... 
Transformai-vos em ANJOS ... Obedientes, dóceis e santos que A amam que A louvam que A querem que A obedecem que A agradam... Que Lhe dão contentamento e satisfação!
Eu estou aqui convosco para ajudar-vos nesta santa tarefa que não é fácil!... Mas com a Minha ajuda e a de todos os Santos que aqui já vieram e que estão no CÉU, será possível para vós! SERÁ POSSÍVEL....

EU VOS GARANTO... QUE TODO AQUELE QUE OBEDECER ÀS MENSAGENS DA MÃE DE DEUS NÃO PERECERÁ! OH NÃO! NÃO PERECERÁ! NÃO PERECERÁ ...

Eu vos digo, se houvessem Aparições dEla na época em que EU vivi ... Naquela época do império romano, todos teriam se convertido mais depressa e o mundo teria sido um paraíso, oh sim... Mas nosso SENHOR tem seus desígnios e ELE reservou para este tempo as Aparições multiplicadas da VIRGEM SANTÍSSIMA na terra... E vós... Que frutos apresentais??? E vós... 
Que frutos destes até agora? 
Correspondestes a tanto amor? 
Correspondestes a tanta graça? 
Correspondestes a tanta benevolência do Altíssimo e da Mãe de DEUS por vós? 

Se não, falta pouco tempo.. ainda resta um tempo... Regressai... Voltai... Transformai-vos e daí os frutos das Mensagens da Mãe de DEUS ... Dos SAGRADOS CORAÇÕES...

Com estes frutos muitas almas se salvarão e se saciarão da fome espiritual que sentem e então viverão... Pois o fruto destas Mensagens não acaba nesta vida mais dura para vida eterna.
Oh sim! Se vós derdes desses frutos bem depressa o ‘Reino de MARIA’virá ao mundo e logo depois dele o ‘Reino de JESUS’. 

Eu estarei convosco, eu abençoarei a vossa voz... Eu sou a ‘Protetora da Voz’! Eu abençoarei a vossa voz para que ela seja completamente ungida pelo ESPÍRITO SANTO e as almas não poderão resistir as vossas palavras repletas de unção quando vos anunciardes não as vossas Mensagens , As Mensagens da MÃE de DEUS, dos SAGRADOS CORAÇÕES. 

EIS PORQUE A PREGAÇÃO NÃO TEM EFEITO, OS HOMENS PREGAM A SUA OPINIÃO, A SUA BONDADE, NÃO PREGAM A PALAVRA DA MÃE DE DEUS. SE ISSO FOSSE FEITO, O MUNDO JÁ ESTARIA EM GRANDE SANTIDADE. 

Mas ainda é tempo! Saí! Combatei apóstolos da luz! Levai a todos a luz do CORAÇÃO IMACULADO de MARIA para que então as trevas sejam vencidas pela luz e triunfe o CORAÇÃO DE MARIA, o CORAÇÃO DE JESUS, o CORAÇÃO DE JOSÉ, o CORAÇÃO DE DEUS...
Estou convosco sempre! Rezai-me! Falai comigo! chamai-me nos momentos de dúvida e sofrimento e Eu vos esclarecerei e vos digo: quem se entregar a mim, quem der a mão para mim não cairá e mesmo se cair não ficará caído. Há de levantar-se! Há de continuar a corrida e há de alcançar o prêmio da vitória...

A todos dou a PAZ... A PAZ Marcos ... Amo-te... A PAZ... Fica em Mim, descansa no Meu AMOR... A PAZ..."

********************************************

 Santa Cecília, nobre, esposa, virgem e mártir.

 Uma donzela frágil que a fortaleza de sua Fé 

fez abalar os poderosos do Império Romano e cujo sangue, foi verdadeiramente,

" semente de novos cristãos".

Santa Cecília desde cedo converteu-se ao cristianismo, 
assistia diariamente a Santa Missa, era dotada de
um enorme dom para música. 

Almáquio é um prefeito poderoso da Roma antiga. Mas, ele está inseguro, tem dúvidas...

- Como executar essa jovem cristã? Ela não pode morrer pela espada... Seria perigoso. Será que...

De repente, bruscamente, o prefeito ordena que a jovem seja levada até o palácio imperial. Ele decidiu: 

- Cecilia será morta no calidário. Ela será colocada numa sala asfixiante, totalmente fechada, abafada com vapores quentes e pestilentos.


Cecília foi deixada lá, sozinha. Em seu rosto, porém, não se via marcas de abatimento e tristeza. Parecia ter a alma cheia de alegria. Pedia, continuamente, que Deus a levasse logo para o Céu. A tal ponto Cecília tinha seu pensamento posto em Deus que nem percebeu que seu suplício já tinha sido iniciado.

Ela foi castigada no calidário ao longo de um dia e uma noite. Tudo isso foi inútil. Quando os carrascos abriram a câmara de tortura com a certeza de poderem retirar de seu interior o cadáver de Cecília, encontraram-na ajoelhada, sorridente e circundada de ar puro e fresco. Cheios de temor, apavorados, eles correram até Almáquio para contar-lhe o que acontecera.

Ouvindo a narração dos algozes, o prefeito ficou hirto, petrificado. Tomado de ódio e furor insano, ordenou que um guarda decapitasse imediatamente a jovem, na mesma sala em que estava sendo torturada.

Cecília sorriu de alegria quando apareceu diante dela o novo carrasco. Ajoelhou-se e espontaneamente apresentou o pescoço a ele. Era uma audácia. Uma tão inesperada ousadia que o homem sentiu-se abalado e faltou-lhe coragem para executar a sentença. Para não parecer fraco, conteve seu medo e, desesperadamente, por três vezes, golpeou o pescoço da valente virgem cristã. Cecília caiu. Seus braços estavam cruzados sobre o peito. Sua cabeça, inexplicavelmente, continuava unida ao corpo.

A lei romana proibia insistir no suplício depois do terceiro golpe. Sem saber o que fazer, o carrasco jogou a espada no chão e fugiu apavorado. A multidão que aguardava os acontecimentos do lado de fora da sala de suplicio avançou porta adentro afim de venerar aquela que seria a mais nova mártir cristã.

O martírio de Santa Cecília 

Todos ficaram pasmos: Cecília ainda vivia! Estava caída sobre seu lado direito e seu pescoço apresentava um ferimento profundo de onde ainda corria sangue. As donzelas mais íntimas da Santa, com todo respeito, colheram em panos de linho branco o sangue escorrido. Outros cristãos apressaram-se para comunicar o fato ao Papa. Inúmeras dificuldades fizeram com que o Sumo Pontífice Urbano só pudesse chegar ali depois de três dias.


Continuando na mesma posição, Cecília aproveitava o tempo de vida que tinha para anunciar e testemunhar a verdade do Evangelho para os que dela se aproximavam. Vários pagãos foram tocados pela graça e se converteram.

Finalmente o Papa Urbano chegou trazendo para a mártir os últimos confortos e os sacramentos da Igreja Católica. Não dá para descrever o fervor de Cecília ao receber a Unção dos enfermos e comungar pela última vez! Ela que amava tanto a Jesus e que a Ele entregara sua vida, contemplava e adorava o Salvador em seu coração. A determinado momento fez um sinal pedindo ao Pontífice que se aproximasse dela e disse-lhe:

- Santo Padre, peço poder manifestar minha última vontade: Desejo que minha casa se transforme em um templo do Deus verdadeiro...

Ela já não tinha mais forças para falar. Voltou-se, então, para os que lá estavam e mostrou-lhes o polegar de uma mão e três dedos da outra. Foi o último gesto de sua vida. Com ele Cecília confessava publicamente sua Fé: Deus é Uno e Trino. Creio na Unidade e Trindade de Deus. Ainda tentou envolver-se com suas vestes, estendeu os braços junto ao corpo, inclinou a cabeça e expirou. O corpo de Cecília foi piedosamente depositado em um caixão e conduzido até a catacumba de São Calixto. O próprio Pontífice Urbano colocou o esquife junto ao túmulo dos Papas e fechou-o com uma pedra de mármore. Era o ano 232.


Afinal, quem era Cecília?

Uma virgem e mártir que tem sua festa celebrada pela Igreja no dia 22 de novembro e que nasceu no início do século III. Seus pais eram cristãos e pertenciam a uma das mais gloriosas e ilustres famílias da Romanas.

Ainda criança ela foi entregue a uma dama de companhia que também era cristã. Esse foi, certamente, um ato inspirado por Deus. Foi essa boa aia quem esforçou-se ao máximo para que a menina conhecesse e amasse Nosso Senhor Jesus Cristo e pudesse assim caminhar no amor e prática das virtudes cristãs.

Cecília sempre mostrou boa educação e boa formação nas coisas do mundo. Mais que isso, graças à educação que a aia lhe deu, a vida de Cecília tornou-se exemplo da formação cristã que se deve dar a uma pessoa.

Bem cedo Cecília cultivou o gosto pela contemplação das belezas naturais criadas por Deus e colocadas pelo Criador à disposição dos homens. Na contemplação do belo das criaturas, ela encontrou um modo de conhecer Deus. Maravilhada, a menina exclamava:

- Oh! Quão grande e bom é o Senhor! Quero amá-lo sempre. Quero amá-lo, muito!...

A aia de Cecília conhecia as Sagradas Escrituras e lhe contava fatos da História Sagrada. O que mais agradava Cecília eram os trechos sobre a vida de Jesus. A descrição dos padecimentos de Nosso Senhor em sua Paixão, sua morte na Cruz, levavam a atenta ouvinte a apiedar-se do Divino Salvador. Seu coração enchia-se de amor para com Ele e em seu espírito crescia a intenção de não ofender a Deus e consagrar a Ele toda sua vida.

A aia ensinou-lhe a amar o próximo por amor de Deus. Por isso em sua alma floresceu um grande amor aos pobres. Neles ela via a imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo sofredor, pobre e necessitado. Ela abrandava os sofrimentos e acalmava as dores dos servos, escravos e mendigos. Junto com a ajuda material, ela lhes ensinava a prática da vida e da piedade cristãs. Assim transformou-se numa verdadeira apostola do Evangelho.

O encontro com Jesus

O amor a Jesus Sacramentado germinou e cresceu no coração de Cecília. O mundo com suas ilusões e fantasias não a atraia. Ela tinha um único desejo: unir-se a Jesus sacramentado!

Ela desafogava seu coração estando recolhida, longe dos atrativos mundanos. A oração era o modo que ela tinha de falar com Jesus. Orando ela exprimia seu desejo de recebê-Lo e fazer d'Ele seu alimento espiritual, sua força na caminhada. Jesus ouviu as preces de Cecília.

Ela assistia nas catacumbas de Roma os divinos mistérios. O Pontífice Urbano, tendo nas mãos o Pão Eucarístico, aproxima-se dela. Cecília ajoelha-se aos pés do Papa e recebe pela primeira vez a Santa Comunhão. Nessa hora, adorando Jesus em seu coração, a jovem renovou o propósito de consagrar-se ao serviço de Deus e tornar-se para sempre sua esposa. Cecília sempre teve o desejo de oferecer sua virgindade a Deus. Ocultamente ela procurou o Santo Pontífice e, depois de lhe contar que desde criança havia se consagrado a Jesus, suplicou-lhe que aceitasse seu voto de virgindade.

Santa Cecília foi favorecida por Deus com a presença 
de um Anjo que a defendia dos perigos 

Sua pouca idade e o fato de ser filha única de nobres e ricos senhores, levou o Pontífice Urbano a dar-lhe, prudencialmente, uma resposta negativa. Cecília não se rendeu, conservando-se firme em seu desejo. Sua sinceridade levou o Pontífice a dar-lhe consentimento. Para evitar qualquer oposição por parte dos parentes, a cerimonia de recepção de seus votos não foi pública.

Orfandade, Sofrimento e Proteção Angélica

Para Cecília não faltaram dores, sofrimentos e cruzes. A morte dos pais foi uma de suas grandes dores. Sobretudo por causa das consequências que ausência deles lhes trouxe. Mas ela aceitou esses padecimentos com grande resignação.

Após a morte dos pais Cecília ficou sob a tutela de um parente que era pagão. Ele acreditava que lhe oferecendo distrações e divertimentos mundanos diminuiria o sofrimento da jovem. Mas, isso não agradava e nem trazia alegria a Cecília que amava a pureza, a solidão e a prece. Ela fugia dos insistentes convites que lhe eram feitos, pois, temia que as distrações da frívola juventude romana, muitas vezes pecaminosas, prejudicassem sua alma inocente.

Para que não caísse nas ciladas aprontadas por seu tutor e para ter forças na luta contra o demônio que a tentava, ela fazia jejuns e penitências e trazia sempre sobre seu peito os Santos Evangelhos. 

Mesmo com o perigo de ser presa, frequentava as catacumbas e lá encontrava paz. Muitas vezes, em companhia da aia, nelas passava a noite inteira, assistia ao serviço divino e rezava fervorosamente a Maria, Rainha das Virgens, a quem pedia o amor de Jesus, único Senhor de seu coração. Cecília foi favorecida por Deus com a presença de um Anjo que a defendia dos perigos e que frequentemente aparecia e lhe orientava.

Valeriano

Cecília foi obrigada a estar em uma das festas realizadas por seu tutor. Ali estava Valeriano, um dos mais nobres e elegantes jovens de Roma, cuja família se vangloriava de ter antiga ligação com a família da jovem. A beleza, a modéstia, bem como a postura e pureza de Cecília não passaram desapercebidas por ele.

Valeriano, que não conhecia o segredo da modéstia cristã da virgem que se havia prometido como esposa a seu Deus, encantou-se com Cecília. Apaixonou-se por ela e quis, o quanto antes, tê-la como sua esposa.

Cecília disse não a Valeriano: desejava somente ser esposa de Cristo! Foi por prudencia que, junto com a negativa do casamento, ela não se declarou cristã. Essa declaração poderia custar-lhe a vida. Ocultamente, Cecília procurou Santo Pontífice e narrou-lhe o que estava acontecendo e reafirmou que preferia a morte a faltar o juramento de amor que havia feito a Jesus. Urbano, procurou consolá-la dizendo-lhe:

- Tem confiança, minha filha, se teu celeste Esposo te quiser em seu serviço, ninguém vai tirar-te d'Ele. As orações desta noite serão para que o Senhor nos ilumine. Fica em paz. Deixemos as decisões para depois da celebração dos divinos mistérios. Terminados os ritos sagrados, todos os fiéis deixaram as catacumbas. Só Cecília ficou lá. Urbano chamou-a e, com afeto paternal, disse:

- Filha, sê forte e perseverante. Se fores obrigada pelas circunstancias a unir-se a Valeriano, inclina a cabeça e adora os desígnios insondáveis da Divina Providência. Deus terá sobre ti outro desígnio: a conversão de Valeriano a nossa santa religião. Para a proteção de tua virgindade, confia Naquele que, por amor desta virtude, quis nascer de uma Mãe Virgem. A Ele nada é impossível. Vai em paz, confia em Sua bondade e sê prudente.


O consentimento

Passaram-se alguns dias e Cecília não conseguiu fugir de uma nova conversa com seu tutor sobre o pedido de Valeriano. No início da conversa, Cecília demonstrou uma recusa total ao casamento. Os parentes não desistiram de seus propósitos e começaram com as ameaças. Foi então que Cecília, lembrou-se dos conselhos do Pontífice Urbano e aceitou casar-se.

Sabendo disso, Valeriano foi imediatamente ao palácio para ter pessoalmente a confirmação e poder combinar o dia da cerimônia. Nos meses que precederam a celebração do matrimônio, Cecília conservou-se, quase sempre, retirada. Saía só para ir nos bairros populares para socorrer os pobres, seus mais queridos amigos. Passava noites inteiras em oração e penitência. Pedia a proteção e a graça que lhe eram necessárias e que estava certa de alcançar, pois já havia começado a ter uma grande paz de alma com a presença constante de seu Anjo da Guarda.



As bodas

Chegou, afinal, o dia em que os dois jovens se uniriam em matrimonio. O palácio onde morava a jovem católica era um formigar de escravos e donzelas, um fervilhar de ricos e nobres, de amigos e parentes, que iam prestar homenagens e oferecer tributos à presumida felicidade de Cecília.

A alma da virgem estava longe dessas manifestações. Ela quase não percebia o que se passava em redor de si. Realizaram-se as cerimônias matrimoniais segundo o ritual da época. O passo estava dado. A virgem de Cristo tornara-se também esposa de Valeriano. Terminada a cerimônia, Cecília foi conduzida à sala do banquete. Foi recebida com clamorosos aplausos e cânticos. Cecília, porém, elevava a alma a Deus e repetia em seu coração:

- "Senhor, que sejam sempre imaculados meu corpo e meu coração; protege tua serva para que não seja confundida".

Esposa Apóstolo

Terminado o suntuoso banquete, Cecília foi levada por algumas matronas à câmara nupcial. Ali ela deveria esperar Valeriano para a noite de núpcias. Apenas ele entrou no quarto correu para abraçá-la exclamando:

- Oh! dia feliz.... Cecília recuou um passo e disse:

- Não me toques, Valeriano. O jovem ficou atônito e despeitado com a repulsa.

- Não te ofendas, meu querido, mas escuta-me, pois que tenho a dizer-te um segredo...

- Não temas, Cecília, qualquer que seja ele, jamais ente humano o saberá.

"Conservai essas coroas com a pureza de vossos corações 
e santidade de vossos corpos" - disse o anjo aos
esposos Cecília e Valeriano 

- Para satisfazer meus parentes, fui obrigada a unir-me a ti. Serei a companheira mais fiel e amorosa de tua vida, mas teremos de viver como se fôssemos irmãos. E a razão é que, desde ainda criança consagrei meu corpo a alguém que não é deste mundo. Alguém que sempre me amou, e, para confirmar disso, mandou um Anjo para me guardar. Ora, se o Anjo vir que não me respeitas, ficará irado e vingar-se-á tremendamente.

Ouvindo estas palavras, Valeriano, agitado de violentas paixões, exclamou:

- Oh! Cecília, traíste-me. Não me amas e a outro estás ligada!

- Não querido, não me entendeste. Não te perturbes. Escuta e compreenderás. Amo-te e muito, com um amor que não acaba com morte. Um amor que durará e será mais sublime ainda na eternidade. Consagrei-me a alguém que não é um simples mortal. Consagrei-me a Deus que permitirá que eu viva sempre contigo nas condições que já te disse.

- Cecília, disse Valeriano, devo acreditar no que me contas? Se isso é verdade, por que esperastes este momento para dizer-me?

- Perdoa, Valeriano, se eu tivesse revelado meu segredo, nem tu nem meus parentes o acreditariam e considerando-me louca me teriam declarado a mais cruel das guerras.

- Mas qual é este Deus a quem te consagraste e que agora não quer legitimar nossa união? Se é um Deus verdadeiro, como rouba nossa felicidade?

- Deus não necessita de nós. Ele é infinitamente bem-aventurado e, se olha a nossa pequenez, é unicamente para o nosso bem, porque Ele nos ama. Ele nos criou, conserva-nos a vida e será, um dia, nosso Juiz. Este é o Deus dos cristãos.

- Deus dos cristãos? Você é cristã? Cristãos... esses seres desprezíveis, odiados por todos e contra os quais se tem desencadeado a ira de nossos Imperadores e do povo romano?

- De fato, são muitos os nossos inimigos... eles são pobres ignorantes e infelizes. Acredita, Valeriano, tudo quanto dizem a respeito dos cristãos é calunia!

- Nós, cristãos, não adoramos os falsos deuses. Deuses que só servem para enganar. Nós desprezamos todos os bens perecíveis, aspiramos ao Céu e nos entregamos à prática das mais altas virtudes. 

Dito isso, ajoelhou e com os olhos levantados para o Céu exclamou:

- Ó Senhor! Até quando durará o reino do espírito do mal? Até quando os homens caminharão entre as trevas do erro, na mentira e na falsidade? - Dizendo essas palavras, seu rosto transfigurou-se. Uma luz sobrenatural a envolveu e sua alma imergiu-se em Deus. Valeriano, quase apavorado, ficou mudo contemplando o êxtase de sua esposa. Sua mente iluminada de dons sobrenaturais, começava a se abrir à verdade e quando Cecília recobrou os sentidos, viu junto a si o esposo, com os olhos cheios de lágrimas.

Olharam-se e os olhos da Santa leram o fundo do coração de Valeriano. Uma voz interior lhe assegurava que o esposo havia se convertido. Valeriano, envergonhado com o que havia pensado de sua esposa disse:

- Deus de Cecília, eu creio em ti, mas faze com que eu possa ver, ao menos um instante, o Anjo que mandaste para junto de tua e minha esposa. - Ouvindo estas palavras, Cecília exclamou:

- Ó Senhor, meu amado! Sê para sempre louvado e eternamente glorificado por teus Anjos! Donde me vem tantas graças? Sê bem vindo em tua serva que humildemente adora os desígnios misteriosos de tua providência! E voltando-se para Valeriano, disse:

- Agora, não percamos tempo. Verás meu Anjo, sim! Antes, porém, deves tornar-te digno disso pelo Batismo. Vai e procura na Via Ápia a aldeia de Triopio. Lá encontrarás alguns pobres. Diga a eles que vais em meu nome e que procuras pelo Pontífice Urbano. Serás, então, conduzido até Papa que te acolherá com grande afabilidade e te ensinará as verdades de nossa fé. Depois, volta e verás o Anjo de Deus que me acompanha.

Com um manto, Valeriano, cobriu as vestes nupciais que ainda usava e encaminhou-se para o lugar indicado. Enquanto podia vê-lo, Cecília acompanhou-o com o olhar. Depois retirou-se, continuando suas preces que deveriam levar seu jovem esposo à conversão.


Batismo nas Catacumbas

Chegando à aldeia de Triopio, Valeriano encontrou-se com os pobres indicados por Cecília. Eles o conduziram pelo labirinto das catacumbas até chegar ao lugar onde estava o santo Pontífice Urbano, que vivia escondido no Cemitério de São Calixto, junto aos sepulcros dos mártires, depois de escapar da perseguição movida contra ele por causa de sua fé católica. Valeriano foi recebido por Urbano que, juntando as mãos, assim rezou:

- Senhor, meu Jesus Cristo, tu que inspiras as castas resoluções, recebe agora o fruto da semente divina plantada no coração de Cecília!

Por ela, seu esposo Valeriano tornou-se teu servo e abriu os olhos à verdade divina. Agora, ele te reconhece por seu Criador e renuncia, para sempre, o demônio, suas pompas e suas obras. Ele tem firme propósito de Vos adorar e Vos servir por toda a vida. Está pronto a defender com o próprio sangue a Fé que professa. Depois de assim rezar, começou a instruir o jovem catecúmeno sobre os principais mistérios da Fé: a Unidade e Trindade de Deus, a Encarnação, Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Santa Cecília é conhecida no mundo inteiro como
padroeira dos músicos 

Enquanto Urbano falava dos augustos mistérios, subitamente, apareceu uma luz brilhante junto deles. No meio dela estava a figura de um respeitável ancião que trazia nas mãos um livro escrito com letras de ouro. Era o Apóstolo São Paulo que dizia a Valeriano:

- Lê e crê. Só então merecerás ser purificado nas águas do batismo e, então, contemplar o Anjo de que te falou Cecília. - Valeriano leu:

- Um só Senhor, uma só fé, um só Deus, Pai de todos, superior a todos, que está em todas as coisas, especialmente em todos nós.

- Crês em tudo isto? Perguntou o Apóstolo.

- Sim, creio! , Responde Valeriano.

Após essa profissão de fé, Paulo desapareceu. Urbano tomou a água e derramando-a sobre a cabeça do neófito, dizendo:

- Valeriano, eu te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Vestindo-o depois com uma túnica branca, despediu-se dizendo:

- Vai e mostra-te a Cecília, que completará a obra por Deus reservada para ti.

A Promessa do Anjo

Valeriano partiu com a alma serena e a paz no coração. Chegando em casa, encontrou Cecília de joelhos, em oração. 

Junto dela estava o Anjo do Senhor. Tinha nas mãos duas coroas de rosas e lírios. O Anjo que guardava a virgem colocou as sobre as cabeças dos esposos e lhes disse:

- Conservai essas coroas com a pureza de vossos corações e santidade de vossos corpos. Tu, Valeriano, por teres compreendido as puras aspirações de Cecília, serás ouvido, qualquer que seja a graça que pedires a Deus.

- Oh! Anjo bendito, um só será meu pedido: suplicar a Cristo que salve também meu irmão e nos torne ambos perfeitos cristãos e que confessemos seu Santo nome.

- Não só teu irmão vai converter-se, como também ambos, junto com Cecília, serão martirizados e acolhidos no Céu.

* * *
Livres da escravidão dos sentidos, Cecília e Valeriano inflamaram-se no amor de Deus. O vínculo que os ligava era fonte de entusiasmo para muitos de sua estirpe. Tibúrcio, fruto do apostolado de Cecília floresceu e tornou-se exemplo de vida para os seus companheiros de corte. Tais exemplos ainda gerariam muitos outros filhos para a Igreja Católica nascente. Muitas almas ainda foram por isso atraídas para Jesus Cristo.

Tal testemunho de Fé e apostolado não poderia deixar de ser notado pelo ódio dos pagãos que se encontravam petrificados no mal. Sobre Cecília, Valério e Tibúrcio, logo caíram o ódio e a perseguição dos pagãos. Foram terríveis. Confirmaram, porém, o que já lhes tinha sido predito: os três receberiam a palma do martírio e logo voariam para Deus.

Esta é a história de Cecília, nobre, esposa, virgem e mártir. Uma donzela frágil que a fortaleza de sua Fé fez abalar os poderosos do Império Romano e cujo sangue, foi verdadeiramente, "semente de novos cristãos".

(Adaptações do Livro Santa Cecília, Virgem e Mártir, Saverio M. Vanzo, S.S.P. - Mir Editora Brasil 2001,pp. 15 à 76)






DEFESA DAS APARIÇÕES DE JACAREI

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ


(FEITA POR UM PEREGRINO, AO CONTEMPLAR UM VÍDEO FALANDO MAL DAS MESMAS CITADAS ACIMA, E SOBRE A CARTINHA DO BISPO DA ÉPOCA, ALEGANDO QUE AS APARIÇÕES NÃO ERAM VERDADEIRAS)


NÃO SEI QUEM FEZ MAS PRA MIM ESSA PESSOA MERECIA UMA MEDALHA DE HONRA DE NOSSA SENHORA POR ESTA BELA DEFESA

"Quando você diz que devemos dar ouvidos ao que os padres dizem a respeito das aparições de Jacareí, corre em um ledo engano, pois, a “opinião pessoal” deles é que não pode ser elevado ao nível de “dogma de fé”. As cartas de Dom Nelson são muito citadas pelos que latem que estas Sagradas Aparições são falsas. Portanto, mister se faz alguns esclarecimentos. Há duas cartas oficiais onde este indigitado bispo trata da matéria “aparições”. Uma primeira, publicada em 1996, enquanto o mesmo ainda era bispo de São José dos Campos (diocese a qual pertence Jacareí). Nesta, não há menção alguma ao nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, muito menos, excomunhão, há somente algumas orientações pastorais. A segunda, publicada em 2007 e republicada em 2011, realmente traz explicitamente o nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, porém, nesta, a palavra “excomunhão” é sequer mencionada.

Ainda há um probleminha com esta segunda carta. O dito bispo (certamente pela providência de Nossa Senhora) foi transferido para a diocese de Santo André/SP em 2003, e, observem, a segunda carta publicada por ele ocorreu no ano de 2007, quando já havia deixado de ter jurisdição eclesiástica sobre a cidade de Jacareí. Portanto, o mesmo, ao editar esta carta, violou a jurisdição eclesiástica conferida a ele pela Igreja, e, ainda, violentou gravemente a autoridade de Dom Moacir, então, bispo da Diocese de São José dos Campos, que, se quisesse, poderia ter criado o maior caso com isso, pois Dom Nelson desrespeitou frontalmente e atropelou sua autoridade eclesiástica, uma verdadeira afronta. Então eu lhes pergunto, vocês ainda vão dar credibilidade a um documento irregular e eivado de vícios como esse?

Vale lembrar, que não é obrigatório seguir estas cartas circulares dos bispos. Não há heresia nem cisma nisso. Um católico somente pode ser acusado de cismático ou herege se atentar contra os Dogmas de Fé. Que eu saiba, carta circular de bispo não é Dogma de Fé. Como a primeira carta de Dom Nelson não condena as Aparições de Jacareí, e a segunda está irregular, pode-se dizer que não pesa condenação oficial e regular da Igreja sobre estas Santas Aparições. Além do mais, até o presente momento, Dom José Valmor, que atualmente tem jurisdição eclesiástica sobre Jacareí, não fez pronunciamento oficial sobre as mesmas. Documento oficial onde o Profeta Marcos foi excomungado, também é inexistente, portanto, qualquer informação que diga o contrário é fruto de pura “fofoca”.

Ressalto que em Jacareí, realmente, não damos tanta importância aos documentos do Vaticano. O que nós realmente valorizamos é a doutrina que nos foi transmitida pelos santos, como Santo Afonso, São Luiz, Santa Teresa, São João da Cruz, etc... Outro adendo que gostaria de acrescentar, diz respeito ao fato da obrigatoriedade ou não das Sagradas Mensagens Celestiais. A orientação predominante entre os teólogos católicos, de que não é obrigatório seguir as Aparições de Nossa Senhora, se funda em meras opiniões pessoais de alguns clérigos a respeito do assunto. Esta orientação não tem o caráter da infalibilidade papal e muito menos é um Dogma de Fé. Realmente, o catecismo atual traz algo nesse sentido, mas vale lembrar que o mesmo não recebeu o caráter da infalibilidade pelo Concílio Vaticano II. Bem ao contrário do Santo Catecismo do Concílio de Trento. Este sim, recebeu o caráter de infalível. Ocorre que nossa amada Igreja há muito se transviou de uma tradição bíblica milenar, através da qual o “Deus dos Exércitos” sempre manifestou sua vontade ao povo de Israel por meio de suas aparições aos profetas (mesmo fenômeno que ocorre com o, também, profeta Marcos Tadeu, pois os fenômenos miraculosos e de aparições que ocorrem naquele Santuário, são da mesma espécie dos verificados na Sagrada Bíblia).

Ora, nos tempos bíblicos não era através dos fariseus, saduceus, príncipes e doutores da lei (a Igreja oficial da época) que Deus dava as suas diretrizes ao povo eleito, mas sim, através dos profetas, em outras palavras, dos videntes. Nos primórdios do cristianismo, também ocorria assim, pois, a própria origem da nossa amada Igreja se funda nas “aparições” de Jesus aos apóstolos e discípulos. Então, por que esta tradição bíblica foi quebra? Será que é porque as aparições aos profetas cessaram? Errado, pois nos últimos 100 anos ocorreram mais de 1000 aparições de Nossa Senhora, dos santos e anjos, e até de Deus.
A pergunta correta é, por que o clero tenta abafar isso, pois grande parte, senão todas, destas aparições também foram acompanhadas de sinais miraculosos, como, curas inexplicáveis pela ciência, sinais na natureza, etc... Se Deus usava deste expediente nos tempos bíblicos, certamente deveria continuar a usá-lo nos tempos do catolicismo, pois uma grande verdade que a Teologia professa é que Deus é imutável. Não citarei as passagens bíblicas onde Deus manifesta sua vontade através dos videntes/profetas, pois se assim fizesse, teria que citar a Bíblia inteira, pois a própria formação e ensinamentos nela transmitidos se dão por este meio. Gostaria apenas de citar um pequeno exemplo de qual atitude deveremos tomar frente às Aparições de Jacareí, tomando por base a Bíblia. Saulo, quando se dirigia à cidade de Damasco e Jesus lhe “aparece” exclama: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9, 6). Naquela ocasião, Jesus disse a ele para procurar os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! O ordenou que entrasse na cidade de Damasco e ali lhe seria dito o que deveria fazer. Beleza. E quem Deus enviou para Saulo? Os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! Mas Ananias, um vidente. Como eu sei que Ananias era um vidente? As Sagradas Escrituras nos contam que foi uma aparição de Jesus que disse para ele ir procurar Saulo. É só conferir At 9, 10-16ss.

Outro exemplo foi Judas Iscariotes; este preferiu errar com a Igreja oficial da época (lembra né, fariseus e saduceus) que acertar sem ela. Bom... Errou mesmo! E segundo alguns santos místicos, como Maria de Ágreda, sua alma se encontra no inferno. Assim, a posição teológica defendida pela maioria dos teólogos atuais, de que as aparições não são obrigatórias, falando em termos de estudo teológico da atualidade, é perfeitamente passível de questionamento, e, inclusive, daria uma boa tese de doutoramento. É um posicionamento que pode ser mudado. Não é Dogma de Fé. Gostaria de finalizar este ponto dizendo o seguinte. Jesus tolerou para sempre aquela Igreja oficial da época (o judaísmo) que rejeitou o projeto que suas aparições aos Apóstolos (que também eram videntes) propunha? Claro que não!!! Por causa disso, Deus se retirou do meio daquela Igreja e passou a habitar no meio dos seus videntes, os apóstolos e discípulos, e, assim, surgiu a nossa amada Igreja Católica (Mt 21, 39-45).

Não é objetivo do Profeta Marcos Tadeu, nem de sua Ordem e muito menos de nós, a Milícia da Paz (formada por todos os fiéis seguidores daquele Santuário) provocar um cisma na Igreja. Nós apenas denunciamos os erros (prerrogativa esta, conferida aos leigos pelo próprio Concílio Vaticano II), lutamos para que a devoção a Nossa Senhora, aos santos e anjos seja colocada em seu devido lugar, e que as suas mensagens, e as dos demais santos, e até as de Deus, seja acolhida como nos tempos Bíblicos, pois acreditamos que se isto não for feito, irá se abater gigantescos cataclismos sobre a Terra, de uma tal magnitude que nunca houve, nem jamais haverá. Acreditamos que esta “palavra de Deus” transmitida nas aparições é o caminho e a única forma de salvar o mundo, e qualquer obra, ou pessoa, que ensine ou faça diferente do que elas dizem, é desprezada por nós. O motivo para isto é muito simples. Desde tempos remotos, as Aparições de Nossa Senhora (inclusive as não aprovadas pela Igreja) vêm dizendo o que aconteceria ao mundo se esta “palavra de Deus” não fosse obedecida. Resultado, tudo o que elas disseram, em um passado remoto, está se cumprindo na atualidade. Então, não há outra conclusão a se fazer, a não ser admitir que elas eram verdadeiras, e que o clero errou. Aliás, o histórico de erro do clero é algo realmente interessante. Basta citar a condenação que pesou durante 20 anos sobre as Santas Aparições de Jesus Misericordioso à Santa Faustina, e não foi por um “bispozinho” qualquer. Foi pelo próprio papa da época. Se não fosse a atuação do então Cardeal Karol Józef Wojtyła, futuro Papa João Paulo II, estas aparições estariam condenadas até os tempos atuais, e, certamente, você seria um grande opositor delas, não é? Infelizmente, como atualmente o número de Cardeais, e clérigos em geral, com este nível de espiritualidade é praticamente nulo... tadinha das aparições... snif. Praticamente nenhum deles entende de Teologia Mística, o estudo apropriado para se avaliar as aparições e estudá-las.

Além do mais, as aparições de La Salette, Lourdes e Fátima, para quem conhece mais a fundo sua história, verá que elas na verdade não foram aceitas pelo clero. Muito pelo contrário, este as combateu com todas as suas forças. Na realidade, o que ocorreu, é que os fiéis praticamente as fizeram descer goela abaixo na garganta do clero, de tal modo, que eles não tiveram outra opção a não ser aprová-las. E, mesmo nestas que foram aprovadas, o estrago que o clero fez é algo incomensurável. Não as divulgou como deveria; se o corpo incorrupto de Santa Bernadete estivesse no Santuário de Lourdes iria converter milhões de fiéis, no entanto está praticamente escondido no convento de Nevers; o corpo incorrupto de Santa Jacinta foi escondido dos fiéis; a esmagadora maioria dos vaticanistas da Itália é de acordo que, até hoje, o terceiro segredo de Fátima não foi revelado em sua integralidade; a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu até os dias atuais, etc... E isso, só para citar os danos que me vem à mente neste momento.

No Santuário das Aparições de Jacareí, o Profeta Marcos está resgatando tudo aquilo que a Igreja e a sociedade tanto se esforçaram para extinguir, os escapulários, medalhas, mensagens, enfim, a salvação do mundo que Nossa Senhora nos revelou e ofereceu com tanto amor ao longo de suas aparições na história. Sem dúvida, lá está se cumprido a passagem da Escritura na qual se diz: “Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas...” Mt 13,52 É uma nova aparição que resgata todas, até as mais antigas. Portanto, se ainda quiserem seguir a doutrina da cabeça deste cara de que não precisamos de aparições, o problema é de vocês. Aliás, se formos pensar bem, porquê Deus, Nossa Senhora os anjos e os santos apareceriam, né? Afinal de contas, nosso mundo está uma verdadeira maravilha, não é? Não temos problemas de droga, prostituição, corrupção, degradação moral, depressão, decadência da Igreja, violência, roubos, assassinatos, guerras, miséria..., todos os sacerdotes são verdadeiros Serafins de santidade, enfim, o Vaticano está dando conta do recado... Só não está apresentando um desempenho melhor devido a um “pequeno” probleminha de tráfico de influência entre os altos clérigos, desvio de verbas do banco do Vaticano, looby gay entre os padres, pedofilia generalizada, um papa progressista e comunista..., mas, afinal de contas, são probleminhas fáceis de serem solucionados, né? É... Em um mundo maravilhoso e em ótimo funcionamento como esse, realmente não entendo o motivo de tantas aparições..."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

A SANTA MEDALHA DA PAZ

A MEDALHA DO AMANTÍSSIMO CORAÇÃO DE SÃO JOSÉ

A MEDALHA DA ROSA MISTICA

MÍSTICA CIDADE DE DEUS - VOL. 01 - REVELAÇÕES A SOROR MARIA DE JESUS DE AGREDA

MÍSTICA CIDADE DE DEUS - VOL. 02 - VIDA DE NOSSA SENHORA À SOROR MARIA DE JESUS DE AGREDA

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS
ENTRE EM CONTATO PELOS TELEFONES ACIMA

A VIDA DE SÃO JOSÉ VOL.02 - REVELADA A IRMA MARIA CECÍLIA BAIJI

Santa Hora da Paz nº 5 - para ser rezada todos os dias as 08:00hs da noite

Santa Hora do Espírito Santo nº19 - para ser rezada todas as segundas-feiras as 09:00hs da noite

Santa Hora dos Santos Anjos nº19 - para ser rezada todas as terças-feiras as 09:00hs da noite

Santa Hora dos Santos Nº 36 - para ser rezada todas as quartas-feiras as 09:00hs da noite

TERÇO DA EUCARISTIA MEDITADO Nº 03

- para ser rezado em especial as quintas-feiras as 07:00hs da noite

SANTA HORA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Nº04

para ser rezada todas as sextas-feiras as 09:00hs da noite

SANTA HORA DAS LÁGRIMAS DA MÃE DE DEUS PARA SER REZADA TODOS OS SÁBADOS AS 07:00HS DA NOITE

Santa Hora de São José 38 - para ser rezada todos os domingos as 09:00hs da noite

Follow by Email